quinta, 30 julho 2015 15:32

Jornal do Vaticano elogia Mata Nacional do Buçaco

Escrito por
Classifique este item
(0 votos)

24 julho de 2015

Ontem, dia 23 de julho, o jornal L’Obsservatore Romano fez referência à Mata Nacional do Buçaco, e à sua importância ambiental e religiosa.

No passado dia 23 de julho foi feita uma publicação no jornal L´Obsservatore Romano intitulada “Brevi pontifici scomparsi”, que destaca a Mata Nacional do Buçaco como espaço pioneiro nas preocupações ecológicas e ambientais dentro da igreja.

Este artigo resulta da visita do Monsenhor Francisco Xavier Frojan Madero, da Secretaria de Estado do Vaticano, a convite do Presidente da Camara Municipal da Mealhada, Dr. Rui Marqueiro e da Fundação Mata do Buçaco, efetuada nos dias 2 e 3 de janeiro deste ano, na qual teve a oportunidade de acompanhar e observar os principais locais da Mata.

L´Obsservatore Romano é o jornal diário da Cidade do Vaticano, e transmite todas as comunicações da Santa Sé, o Papa, bem como os eventos que decorrem na Cidade e artigos culturais sobre o mundo. Não sendo o jornal oficial da Santa Sé “apresenta o rosto genuíno da igreja e os seus ideais de liberdade”.

O artigo inicia com a encíclica do Papa Francisco, a 24 de maio de 2015, Laudato si’, que revelava a sua preocupação com o ecossistema e a sua proposta de “solidariedade entre gerações”, apelando ainda à preservação do património natural que “é na verdade um empréstimo que cada geração tem para receber e transmitir para a próxima geração”.


Na publicação é descrito que em boa verdade ao longo da história os valores da natureza, como a harmonia, a paz, o silêncio e a beleza, foram reconhecidos e valorizados. Exemplo disso é a Mata Nacional do Buçaco, uma “floresta de beleza incomparável que se localiza no norte da Serra do mesmo nome, na região da Beira Litoral, no Centro de Portugal. Tem 105 hectares de colinas íngremes, afloramentos rochosos e vales profundos e húmidos, cheios de vegetação frondosa. Este espaço foi criado pelos frades carmelitas descalços. Em 1628, no meio da floresta, foi a pedra o elemento fundamental para a construção de um pequeno e humilde convento consagrado à adoração da Santa Cruz e erguido um muro alto que recintava toda a propriedade”.

A importância das duas Bulas Papais da Mata do Buçaco (presentes no miradouro das Portas de Coimbra), é uma referência ao longo do artigo. Estes elementos gravados em pedra datam de 1622 e 1643 e ditavam as principais regras da Mata: interdição da entrada de mulheres nos conventos carmelitas e, portanto, também no Convento de Santa Cruz do Buçaco, sob pena de excomunhão, (“latae sententiae”), a todas as que lá se introduzissem; e sentença de excomunhão (“ipso facto incurrenda”) para quem destruísse árvores e apanhasse madeira.


As Bulas são uma prova do interesse da prática humana e secular da igreja no sentido da custódia de valores materiais e imateriais ligados à natureza, conforme é referido no L’Obsservatore Romano. Com isto, Portugal torna-se pioneiro nas causas ecológicas integradas.


A publicação termina com um louvor a este local: “
A Mata Nacional do Buçaco Serra, lugar mágico de grande valor natural e rica em história, arte, cultura e espiritualidade, é prova de como um património natural, com sua dupla dimensão, material e imaterial, é um tesouro precioso que cada geração Ele deve passar para as gerações futuras.

Artigo: http://www.fmb.pt/v2/images/a_fundacao/press_release/QUO%202015%20165%202307%2000005.PDF

No site do jornal:

http://www.osservatoreromano.va/pt/news/um-tesouro-na-floresta

Ler 774 vezes Modificado em quarta, 21 outubro 2015 15:47
facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top