O Dia Internacional do Idoso foi assinalado, ontem, na Mata Nacional do Bussaco, com a realização de uma série de atividades promovidas pela Câmara Municipal da Mealhada em parceria com a Fundação Mata do Bussaco (FMB). Cerca de três dezenas de utentes, de várias instituições e organizações da área social do concelho da Mealhada, estiveram presentes. O dia incluiu uma caminhada, composta por um percurso lúdico-interpretativo entre a Cruz Alta do Bussaco e as Portas de Coimbra,  e a plantação de 335 árvores na zona dos Viveiros. A ação comemorativa culminou com a realização de um piquenique de convívio entre todos os participantes.

A FMB, associa-se, assim, à Câmara Municipal da Mealhada, nas comemorações da efeméride com a realização de diversas atividades direcionadas especificamente ao público sénior. Mais uma vez, o Dia Internacional do Idoso foi comemorado em diversos locais do concelho. A maioria dos utentes, das instituições e organizações sociais da área da terceira idade do concelho, foram unânimes em classificar a iniciativa como "muito divertida" num dia que, sem dúvida, foi passado de forma "diferente". A Associação de Aposentados da Bairrada, o Grupo Caritas da Mealhada, a Associação CADES – Cooperação Artística, Desportiva, Educativa e Social, assim como a Delegação da Mealhada da Associação Adventista, para o Desenvolvimento, Recursos e Assistência (ADRA), foram algumas das instituições que marcaram presença nas comemorações.

Bussaco, 2 de outubro 2015

IMG 5258 Cópia 

 

Foi ontem, no Dia Mundial da Água, que o CIA abriu as suas portas à comunidade. Situado em pleno Parque da Cidade da Mealhada, o CIA está equipado com os mais modernos equipamentos, permitindo a realização de diversas atividades pedagógicas relacionadas com o meio ambiente. Um espaço destinado a toda a comunidade, mas que terá uma especial importância para os alunos do concelho. “É mais uma ferramenta essencial à comunidade educativa. Vai ser um complemento para a aprendizagem que os nossos alunos já têm na escola, uma forma de os sensibilizar ainda mais pelas questões ambientais”, salientou o vice-presidente da Câmara, e responsável pelo pelouro da Educação, Guilherme Duarte.

A sua gestão resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal da Mealhada e a Fundação Mata do Buçaco. “É para mim uma honra e um privilégio poder estar ligado a este projeto. A dimensão deste espaço é ótima, a localização – no Parque da Cidade – é perfeita e aqui as crianças vão poder contactar e saber mais sobre tudo o que envolve o Ambiente”, sublinhou o presidente da Fundação Mata do Buçaco, António Gravato. “A Fundação lida diariamente com questões ambientais e estou certo que podemos dar um excelente contributo. Este espaço acaba por ser também a nossa casa”, concluiu o presidente da fundação.

A delegada regional de Educação do Centro foi a última a discursar. Cristina Oliveira começou por dirigir a palavra às crianças que participaram na cerimónia de abertura, lembrando todos os presentes que o CIA é, sobretudo, para elas. “Os adultos tiveram muito trabalho para construírem este espaço e ele é para vocês, que serão os grandes portugueses e portuguesas de amanhã”, afirmou Cristina Oliveira, elogiando o espaço. “Tem o tamanho ideal e tem tudo o que é necessário. Estou certa que este espaço irá responder às necessidades das vossas crianças”, salientou ainda a delegada regional, defendendo que o CIA vai promover o que cada vez mais os especialistas defendem: que as crianças estejam mais em contacto com a natureza. “No norte da Europa, cada vez mais os alunos são trazidos para espaços ao ar livre, para contactarem com a natureza. As nossas crianças de hoje precisam de conhecer melhor e viver mais o ambiente e de estarem mais fora da escola”, conclui Cristina Oliveira, elogiando o trabalho que a Câmara Municipal da Mealhada tem feito na área da Educação.

O CIA tem como missão informar e sensibilizar os cidadãos para a problemática ambiental, promovendo a mudança de comportamentos e de atitudes, para que toda a comunidade saiba lidar com os desafios do desenvolvimento sustentável. As atividades promovidas no espaço têm, pois, como objetivos: despertar a curiosidade para o conhecimento e compreensão do meio natural que nos rodeiainteriorizar atitudes e valores respeitantes à sociedade de consumo e estimular o desenvolvimento de atitudes responsáveis com a preservação dos recursos naturaiscontribuir para a formação de uma cidadania ambientalmente mais consciente e informadadar a conhecer o património natural, sensibilizando para a valorização e preservação dos recursos naturais do concelho de Mealhada e da regiãodesenvolver a cooperação de alunos e professores em causas ambientais, construindo alicerces para uma sociedade ecologicamente saudável.

O CIA vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h, oferecendo as mais variadas atividades, dirigidas a todas as camadas da população, sendo apenas necessária uma inscrição prévia com quinze dias de antecedência. A dinamização do espaço está a cargo da engenheira ambiental, Lídia Dias. “Apesar de estar aberto a toda a comunidade, no horário já referenciado, este espaço vai trabalhar muito com as escolas. Temos um leque de atividades gratuitas que podemos realizar, para todas as idades, sendo apenas necessária uma inscrição prévia”, informou Lídia Dias, referindo que essas atividades vão incidir sobre as temáticas da “água, floresta, reino das plantas, reino dos animais, resíduos, energia, hortas e jardinagem, percursos e descobertas e o ambiente”. “Às quartas-feiras à tarde, vamos ter o Altambiente”, acrescentou ainda a engenheira, explicando que a iniciativa passa por jogos sobre a temática dentro e fora de portas.

O resto do dia foi passado em atividades dirigidas a toda a população. A temática foi a água, uma vez que o espaço abriu em pleno Dia Mundial da Água.

Centro de Interpretação Ambiental

Local: Parque da Cidade da Mealhada

Horário: 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h

Responsável: Lídia Dias

Mais informações: brevemente em www.cm-mealhada.pt


02 de outubro de 2015

IMG 5225

 

 Um grupo de representantes da Ordem dos Carmelitas Descalços visitou, esta manhã, a Mata Nacional do Bussaco. A visita  no âmbito do programa das comemorações do "Quinto Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus" e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, bem como do presidente da Fundação Mata do Bussaco (FMB), António Gravato, que foram os cicerones do do grupo de sacerdotes. Conhecer o património deixado pelos Carmelitas Descalços no “Deserto do Bussaco” foi o principal objetivo da visita, que contou, para além de uma visita ao Convento de Santa Cruz, com a plantação simbólica de uma árvore (cedro-do-bussaco, Cupressus lusitanica), em pleno "coração da Mata Nacional do Bussaco. 

“Agradeço a vossa presença. Sejam bem-vindos, é uma honra ter-vos aqui”, referiu António Gravato, à chegada da comitiva. Agradeço a presença e disponibilidade do senhor presidente da câmara da Mealhada e espero, sinceramente, que se sintam em casa e que desfrutem do que vão ver”, referiu. "Permitam-me expressar um desejo; seria muito interessante e louvável para nós transpor para este local a reflexão e espiritualidade da vossa ordem. seria uma forma de devolver toda a dignidade que este espaço singular reclama e merece”, concluiu. Por sua vez, o representante dos Carmelitas, o padre provincial Joaquim Teixeira, mostrou-se "muito agradado" com o convite, considerando a ocasião como uma "oportunidade para um estreitar de relações” entre as duas instituições num diálogo que tem tudo para ser um "princípio de colaboração” a vários níveis. “Estas são portas que se estão a abrir, resta agora saber o que ambas as partes podem dar”, rematou o sacerdote. A comitiva, composta por elementos da ordem religiosa dos Carmelitas Descalços e por alguns historiadores, num total de dezoito pessoas, seguiu depois para o Convento Carmelita, onde teve lugar uma visita guiada e comentada acerca daquele espaço de culto. O passeio teve o seu terminus com um almoço na Sala dos Brasões, no Palace Hotel, logo após a plantação, pelo representante máximo dos Carmelitas, de uma árvore que é um ícone do legado dos Carmelitas no Bussaco.

Entre os dias 20 e 22 de outubro, na Domus Carmeli, em Fátima, realiza-se um congresso internacional com o tema: “História da Ordem dos Carmelitas Descalços em Portugal” ao qual a FMB se associa com o seu presidente a fazer parte integrante da comissão de honra do evento e com um seu colaborador aapresentar uma comunicação com o tema: “O Deserto do Bussaco, Paisagem do Sagrado – a Herança dos Carmelitas Descalços”.

A Ordem dos Carmelitas Descalços foi fundada conjuntamente por Santa Teresa de Jesus e João da Cruz, chegando a Portugal em 1581. É no seguimento da autonomização da província portuguesa dos Carmelitas Descalços que surge, por imposição das constituições da ordem, a necessidade de instituição de um “Deserto” - local de retiro que facilitava a vivência espiritual em comunidade e, também, em eremitérios. Em 1628 é constituído o “Deserto dos Carmelitas Descalços do Bussaco” onde, durante mais de dois séculos, estes frades permaneceram em regime de clausura. Foi neste local que edificaram um vasto património de um incomensurável valor, que inclui capelas e ermidas, fontes, um convento e uma via-sacra única no mundo, capaz de surpreender todos aqueles que visitam esta mata nacional pela primeira vez.

Bussaco, 18 de setembro 2015

IMG 2IMG 4925

Os jardins do Palace Hotel do Bussaco receberam no passado sábado, dia 12 de setembro, pelas 21h30, um concerto protagonizado pela prestigiada orquestra da Banda Militar do Porto.

Inserido no programa de Comemorações dos 205 anos da Batalha do Buçaco, e com o edílico hotel e a envolvência natural da mata a servir de cenário, os músicos dirigidos pelo maestro capitão Alexandre Coelho encontraram a inspiração ideal para proporcionarem um espetáculo memorável aos mais de quinhentos espetadores presentes. O palco foi montado em redor dos jardins, em frente à fachada traseira do edifício do hotel, com a banda a apresentar um repertório variado e versátil, composto por temas como o “Olympiada” de Samuel R. Hazo, o “Star Wars Saga” de John Williams, ou “At the Mambo Inn” de Arr. Toshio Mashima. Ao longo de duas horas os elementos da reconhecida orquestra portuense, sob a batuta do maestro Alexandre Lopes Coelho, fizeram “jus” ao talento que lhes é reconhecido a nível nacional e internacional. Uma noite que ficou marcada pelo elevado nível artístico dos protagonistas, que com a sua mestria deram o mote para o início do programa de comemorações organizado conjuntamente pelos municípios da Mealhada, Mortágua, Penacova e também pela Fundação Mata do Buçaco (FMB) e que decorre durante todo o mês de setembro. O evento tem o apoio do Exército Português, da Associação Napoleónica Portuguesa, da Fundação Luso, da Extramotion, da Associação de Aposentados da Bairrada e do Grupo de Recriação Histórica de Almeida, e contará, para álem de outros concertos, com exposições, conferências, recriações históricas, cerimónias militares e passeios noturnos encenados.

 

11999549 795497797225194 5990562152767659309 o

 

Mais de 60 participantes aceitaram o desafio de passar a última noite de lua cheia deste verão na Mata Nacional do Buçaco na “companhia” das principais figuras da Batalha do Bussaco.

Realizou-se no passado sábado, dia 29 de agosto, na Mata Nacional do Buçaco, mais uma edição do “Bussaco Ao Luar”. Uma iniciativa promovida pela Fundação Mata do Buçaco e com o apoio do Centro Social Melo Pimenta, que inclui uma série de visitas orientadas pelos trilhos da mata nas noites de lua cheia. Desta vez, o tema escolhido foi “Os Caminhos da Batalha do Bussaco” e o principal objetivo foi o de dar a conhecer aos participantes algumas das mais relevantes personagens da Batalha do Bussaco. A iniciativa contou com a participação de cerca de seis dezenas de participantes e marcou o arranque do programa das Comemorações dos 205 anos da Batalha do Buçaco, que decorre até meados de outubro, e que inclui passeios noturnos encenados, exposições, conferências, concertos, recriações históricas e cerimónias militares.

O “Bussaco ao Luar” continua a atrair muitos visitantes. Prova disso mesmo, foram os mais de 60 participantes presentes na atividade, realizada no sábado, dia 29 de agosto, que não quiseram perder a oportunidade de descobrir alguns dos mistérios da Mata Nacional do Buçaco, em plena noite de lua cheia. Um passeio noturno encenado que teve início no Convento de Santa Cruz e que levou os participantes ao longo de um trilho, diferente do habitual, inteiramente dedicado à temática da Batalha do Bussaco. A encenação contou com diversas surpresas. Carmelitas com o seu quotidiano completamente alterado, soldados anglo-lusos e franceses, camponeses que se juntaram ao combate e até Wellington e Massena, este último sempre acompanhado pela sua amante, Henriette Lebreton, surpreenderam os participantes ao longo de todo o trajeto, que teve o seu terminus na zona da Cruz Alta. Aqui, a visão panorâmica que o local possibilita, convidou os presentes a admirar o magnífico luar sobre a Serra do Bussaco. Uma verdadeira viagem no tempo através da história militar portuguesa, mas também da fauna e da flora da Mata Nacional do Buçaco, que os participantes certamente guardarão na memória.

01 de setembro de 2015

bussaco ao luar 2015

 

 

Pág. 11 de 11
facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top