MATA NACIONAL DO BUÇACO PREPARA PLANO PARA DEFESA DOS INCÊNDIOS

Está aprovado o Plano Específico de Intervenção Florestal (PEIF) para a Mata Nacional do Buçaco. O PEIF, que visa a salvaguarda do património natural e edificado da Mata, foi elaborado por um dos maiores especialistas da matéria no país e com recurso às mais avançadas tecnologias de análise e comportamento dos fogos. Preconiza a criação de uma unidade de Bombeiros Sapadores na Mata.

O PEIF centra-se na questão da prevenção dos fogos florestais, uma das principais ameaças à Mata Nacional do Buçaco, sob dois aspetos: a gestão da mata intramuros e a gestão das propriedades florestais vizinhas, identificadas como aquelas que potencialmente poderão ser mais perigosas por serem mais suscetíveis ao fogo. Os ventos foram identificados como um fator chave para determinar toda a linha de ação do PEIF.
Segundo Francisco Castro Rego, professor no Centro de Ecologia Aplicada da Universidade de Lisboa, e coordenador do Plano, os grandes incêndios da região foram potenciados por ventos de Noroeste e, os mais complicados, de Sudoeste. Recorrendo às mais avançadas tecnologias nesta área, conseguiu-se simular o comportamento do fogo nesta área, identificar os caminhos preferenciais e, consequentemente, os locais onde a intervenção preventiva é mais urgente. “Podemos identificar, prever as zonas por onde o fogo tem mais facilidade em progredir e prepararmo-nos para essa ameaça”, explica o docente, que também leciona na Universidade de Idaho, nos EUA, uma das mais reputadas unidades nestas matérias.
O PEIF aponta duas medidas fundamentais a implementar: a criação de um ponto de água no local, e a criação de uma unidade de sapadores florestais, em permanência, na Mata Nacional do Buçaco. Mas, sublinha, para que as referidas medidas, juntamente com toda a intervenção, tenham sucesso, é essencial a cooperação dos proprietários florestais vizinhos da Mata.

António Gravato, presidente da Fundação Mata do Buçaco, refere que este plano “é um instrumento fundamental para a proteção da Mata Nacional do Buçaco. Dá consistência a toda uma estratégia delineada para o futuro dos 105 hectares de património que o concelho da Mealhada aqui tem”. E sublinha a necessidade de que todos sejam envolvidos na defesa da Mata. “É importante a cooperação de todos, dos proprietários florestais vizinhos e de todos os agentes, desde a Proteção Civil aos voluntários”.
Este Plano Específico de Intervenção Florestal concretiza alguns aspetos mais genéricos constantes do Plano de Gestão Florestal, apresentado em Junho de 2015, por Francisco Castro Rego, ao abrigo de um protocolo estabelecido entre a Fundação Mata do Buçaco e o Centro de Ecologia Aplicada da Universidade de Lisboa.
O Plano foi aprovado na generalidade pela Comissão Municipal de Defesa da Floresta da Mealhada.

Buçaco, 1 de março de 2016

Reunião Prevenção de incêndios Prevenção incêndios 2

facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top