Mais de uma centena a fotografar o Bussaco


O concurso de fotografia “Bussaco na quatro estações do ano”, promovido pela Fundação Mata do Bussaco (FMB) e que irá decorrer até 18 de março de 2017, na Mata Nacional do Bussaco (Mealhada), tem 120 pessoas inscritas, provenientes, entre outros, de Lisboa, Almada, Amadora, Faro, Fátima, Fundão, Castro Daire, Guarda, Coimbra, Aveiro, Viseu, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Vila Real, Guimarães, Barcelos, Braga e Porto.

“É um recorde de participações que nos colheu completamente de surpresa e nos deixou muito entusiasmados. É sinal que estamos a trabalhar bem na divulgação da Mata Nacional do Bussaco e a prova inequívoca de que o Bussaco é uma marca de excelência, credível, conhecida e reconhecida em Portugal, na diáspora e um pouco por todo o Mundo”, afirmou o presidente da FMB, António Gravato, sem esconder o orgulho por mais um êxito alcançado.
Recorde-se que o concurso de fotografia “Bussaco nas quatro estações”, que já está a decorrer (as inscrições terminaram no dia 25 de março), tem como prémios uma máquina fotográfica Leica, cursos de fotografia na Escola Superior Artística do Porto e no Instituto Português de Fotografia e fins de semana no Palace Hotel do Bussaco e no Grande Hotel de Luso.

De acordo com o presidente da FMB, António Gravato, “o principal objetivo do concurso, que contará com um júri presidido por um fotojornalista colaborador do New York Times e galardoado com o prémio World Press Photo 2013, é o de sensibilizar a população em geral para os valores da defesa do meio ambiente, da biodiversidade e do património cultural, visando a mobilização dos sentidos humanos para a capacidade de observação e valorização da Natureza, bem como a promoção do desenvolvimento e valorização de competências técnicas, artísticas e criativas no domínio da fotografia”.
Só serão admitidas a concurso imagens originais captadas por fotógrafos amadores, durante os 12 meses do certame, dentro dos muros da Mata Nacional do Buçaco, que retratem e enalteçam o património arquitetónico, histórico, religioso, cultural, florestal, biológico, zoológico, latente nos 105 hectares da Mata.

“Para além de poderem conquistar os prémios já referidos, os concorrentes terão ainda direito a ver as suas imagens em exposições temáticas que a FMB irá promover em espaços de eleição”, assegura António Gravato, sublinhando que a importância dos prémios em jogo - “temos, entre outros, uma excelente máquina fotográfica de uma marca de elevado prestígio”, salienta - e o facto de o júri ser liderado por um fotojornalista premiado internacionalmente, fazem deste “um concurso imperdível”.

Bussaco, 2 de abril de 2016

facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top