Projetos na Fundação Mata do Bussaco

Projetos na Fundação Mata do Bussaco 

Todas as instituições "vivem" dos seus projetos e a Fundação Mata do Bussaco (FMB) não é diferente. Todos os dias, as equipas que trabalham na MNB dedicam-se a projetos, sejam eles das mais diversas áreas, com um único objetivo comum: melhorar as condições de visitação da MNB, tornando-a mais dinâmica, ao mesmo tempo que recupera património, natural e edificado.

Nesta página pode ter uma prespetiva dos projetos em desenvolvimento e os já executados, pela Fundação Mata do Bussaco. De ressalvar que a mesma está em permanente atualizadação.

Os projetos, em desenvolvimento e já executados, podem ser visualizados no menu do lado direito do ecrã.  


>Casas do Bussaco

cozinha web As casas de guardas florestais na Mata Nacional do Bussaco são das últimas construções aqui realizadas. A sua origem deve-se ao plano de povoamento florestal do Estado Novo, regulado pela Lei n.º 1971 de 1938, que dava seguimento ao trabalho iniciado pelos Serviços Florestais e Aquícolas no dealbar do séc. XX.

Com a supressão e integração do corpo de Guardas Florestais na Guarda Nacional Republicana em 2006, estas casas foram votadas a um progressivo abandono mantidas apenas pelos poucos guardas que permaneceram instalados. Para evitar a degradação deste Património, a Fundação trabalha na reabilitação destes edifícios com vista ao seu aproveitamento turístico e preservar a memória deste local singular, tendo sido garantida a sua execução através do Programa PRODER. Neste momento, são quatro as Casas que estão num processo de reabilitiuzação, nomeadamente, a das Ameias, do Serpa, das Lapas e da Feteira. 

>Projeto BRIGHT 

logo final bright sozinhoFinanciado pelo programa europeu LIFE+ Biodiversidade com o objetivo de assegurar a conservação do Adernal - habitat apenas existente em toda a Europa na área de floresta relíquia da Mata Nacional do Bussaco – o projeto BRIGHT – Bussaco´s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats encontra-se em curso desde Setembro de 2010. Com uma duração de 5 anos, inclui trabalhos de combate e controlo de espécies invasoras que ameaçam aquele habitat e de valorização e reabilitação da flora autóctone que o integra, apresentando como característica complementar  e inovadora o envolvimento activo de vários públicos (visitantes, residentes e entidades públicas e privadas) nas actividades de conservação.

Parceiros do projeto: Câmara Municipal de Mealhada e Universidade de Aveiro

Todas as informações disponíveis no site do Projeto em www.fmb.pt/bright 

>Biscoito do Bussaco e Chocolate do Bussaco

imagem do biscoito do bussaco 2 chocolate do bussaco

A Fundação Mata do Bussaco, em parceria com a Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, está a preparar a apresentação do Biscoito do Bussaco e o Chocolate do Bussaco, duas iguarias idealizadas com base nos produtos existentes na Mata Nacional do Bussaco.

Após um estudo dos alunos da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, que se inspiraram nos sabores da Mata, foram realizados vários testes e provas para chegar ao Biscoito do Bussaco, com sabor a mel e tomilho com o formato de uma folha de árvore, e ao Chocolate do Bussaco, tem sabor a poejo, hortelã e mel. Estas iguarias que se tornam únicas pelo seu sabor original!

O objetivo é, posteriormente, comercializar estes produtos na Loja “Produtos da Mata” e noutros locais a definir, para que seja possível o público em geral adquirir os mesmos. 

>Sinalética pedestre da Mata

Sinalética 2

Durante o primeiro trimestre do ano de 2014, será colocada na Mata Nacional do Bussaco toda a sinalética pedestre, que indicará os principais locais de interesse aos visitantes e turistas. Toda esta sinalética é realizada através da recuperação da sinalética antiga. A primeira fase consistirá em assinalar o núcleo central da mata, e assim sucessivamente.

>Letras “BUSSACO”

letras bussaco 2

A ideia passa pela implementação de um novo elemento na zona em frente à Loja “Produtos da Mata”, com a designação de “bussaco”. As letras terão uma altura de 1,20m e cerca de 9 m de comprimento, e têm como finalidade conferir alguma dinâmica ao espaço, onde se situam duas estruturas importantes de apoio ao turista, a Loja e a Esplanada.

Por outro lado, pretende chamar à atenção a quem se encontra na entrada do Palace Hotel do Bussaco ou na zona de estacionamento junto ao velho quiosque. As letras serão todas em madeira maciça, tendo a particularidade de que esta madeira é derivada da queda de árvores do temporal de 19 de janeiro de 2013, conferindo desta forma, um grande simbolismo a esta peça: um reerguer da Mata depois do temporal.

>Caminhos da Batalha do Bussaco

Apresentação Caminhos da Batalha do Bussaco 2 A Fundação Mata do Bussaco e a Câmara Municipal de Penacova apresentaram o Projeto “Caminhos da Batalha do Bussaco”, no âmbito das comemorações do 203º aniversário da Batalha do Bussaco e do Dia Mundial do Turismo. Um projeto que proporcionará aos turistas a descoberta dos caminhos da batalha num buggy e que se espera estar disponível já no próximo ano.

“Caminhos da Batalha do Bussaco” é um projeto embrionário, cujo desenvolvimento pretende acima de tudo valorizar os espaços mais interessantes, do ponto de vista estratégico, da Batalha do Bussaco. Assim, é intuito das entidades envolvidas que este seja algo dinâmico, de monitorização constante e aberto à participação de outras entidades que entendam poder contribuir para o seu enriquecimento. 

Outra mais-valia é a de poder contribuir para a revitalização dos espaços e para a intervenção contra o avanço veloz das invasoras exóticas, nomeadamente das Ácácias (Acacia dealbata e Acacia melanoxylon), tendo já a Fundação Mata do Bussaco enquadrado, neste processo, o projeto BRIGHT e o município de Penacova com apoio de meios humanos e técnicos. Assim sendo, para além da importância cultural e turística da criação, sinalização e divulgação dos "Caminhos da Batalha do Bussaco" este projeto visa também a preservação da biodiversidade da Serra do Bussaco.

O projeto conta ainda com o apoio da empresa Extra Motion, Ldª (RNAAT 212/2013) que disponibiliza os meios para que os utilizadores percorram os “Caminhos da Batalha do Bussaco”. A viagem será feita num Buggy XTM equipado com tablet contendo a Plataforma Virtual XTM, em que o turista terá autonomia total na utilização do veículo, uma vez que este está dotado de um complexo e integrado sistema / plataforma de georreferenciação, que conduz o turista por trilhos e rotas, através de um sistema de guia virtual GPS. Além da tradicional função GPS, interage com o turista informando-o via áudio e vídeo (tablet de apoio equipa a viatura) dos POI dos locais em que vai passando (plataforma XTM).  Espera-se que projeto esteja concluído em meados do próximo ano.


 >Árvores caídas no temporal dão lugar à Linha de Mobiliário BUSSACO

 A criação da linha de mobiliário BUSSACO pela empresa de equipamento urbano Larus está, neste momento, em lançamento no mercado, perpetuando a memória das árvores centenárias caídas, partidas e desenraizadas no temporal de janeiro de 2013, na Mata Nacional do Buçaco, que não escapou à intempérie que se abateu sobre o território continental. Mais uma parceria desenvolvida pela Fundação Mata do Bussaco, em prol deste espaço único no mundo.

Através do desafio lançado à Larus pela Fundação Mata do Buçaco, nasceu a Linha de Mobiliário Urbano BUSSACO, utilizando a madeira das árvores irreversivelmente danificadas pelo temporal, perpetuando assim o seu ciclo de vida.

A linha de mobiliário BUSSACO, neste momento em lançamento no mercado e pronta a ser comercializada, é caracterizada pela rusticidade inerente à utilização de madeira maciça. O recurso aos componentes metálicos estruturantes, garante uma maior consistência física, minimizando necessidades futuras de manutenção e atribuindo nobreza a estas soluções rústicas.

A linha de mobiliário BUSSACO, que inclui vários equipamentos de mobiliário urbano, baseia-se na verdade histórica da Mata do Bussaco, herdada de gestor em gestor, desde os tempos da sua ocupação pelos Carmelitas Descalços. Linhas simples, rústicas, num minimalismo que tenta manter a maior naturalidade dos materiais, assumindo a austeridade carmelita e os efeitos do passar do tempo como elemento que vinca a identidade do objeto ou lugar, sem menosprezar a elegância e a durabilidade.

Esta linha, agora disponível para aquisição por qualquer interessado público ou privado, tem particular interesse para áreas verdes, parques ou jardins, pela sua elevada naturalidade e inserção paisagística.

Recorde-se que a MNB é a única floresta pública nacional com selo de certificação florestal, pelo que o adquirente tem a garantia de, ao adquirir a linha ou peças da mesma, está a contribuir para a reflorestação e conservação de uma floresta com alto valor de conservação, cuja gestão respeita o ambiente, a biodiversidade e a sustentabilidade social.

Nesta primeira fase, a linha BUSSACO constitui uma edição limitada, condicionada pela existência de madeira resultante das árvores caídas devido ao temporal de 19 de janeiro, nomeadamente cedros-do-Bussaco, carvalhos, abetos, freixos, acácias e diversas espécies de pinheiros exóticos.

bebedouro bussaco  banco bussaco

  >Miradouro Virtual 

miradouro virtual 2

Os visitantes e turistas já têm disponível mais um serviço na Mata Nacional do Bussaco: um Miradouro Virtual, junto à Capela de Santo Antão. Um projeto apoiado pelo PRODER.

A localização geográfica e a riqueza ambiental e patrimonial da MNB, conferem-lhe uma distinta versatilidade na oferta que os seus visitantes podem usufruir, tanto para conhecer os espaços como apreciar a calma e tranquilidade que sempre foi seu apanágio.
Estudado para proporcionar o melhor dos dois mundos, e incluído nos projetos trabalhados para o Programa PRODER, o Miradouro Virtual permite a quem o utiliza conhecer melhor a Mata e os seus pontos mais marcantes, assim como conhecer um pouco melhor o espaço fora de muros. Custo de utilização: €1/6 minutos | €2/12 minutos. 

proder

> Bussaco Digital

bussaco digital

O SAPO labs confirmou o seu apoio ao projeto Bussaco Digital, apresentado pela Universidade de Aveiro, em parceria com a Fundação Mata do Bussaco. Assim, já é possível “plantar” árvores à distância de um clique, na Mata Nacional do Bussaco, acompanhar o seu crescimento, ou até dedicar árvores notáveis a alguém especial. Para além da plataforma digital, está ainda na calha a conceção da aplicação móvel.

O projeto Bussaco Digital surge como uma estratégia para a aquisição e plantação de árvores com o intuito de ocupar as áreas de floresta que foram destruídas, após o temporal de janeiro de 2013. Assim, através de um micro-site, os interessados podem “plantar” uma ou mais árvores na MNB, ao mesmo tempo que contribuem para a sua manutenção e preservação.

O acesso à informação e localização (através de coordenadas GPS) sobre a árvore plantada estará acessível através de um simples registo na plataforma, disponibilizada via internet, que permitirá a interação com pessoas que estão fisicamente distantes, facilitando o processo de contribuição, fomentando a interação social, aproximando a MNB da população e promovendo o sentido de altruísmo e sensibilização ambiental.

Este acesso permite igualmente realizar um serviço extra e original: o dedicar. Através deste serviço, o utilizador poderá selecionar uma ou mais árvores notáveis da Mata e dedicá-la a alguém especial ou, em alternativa, plantar uma árvore e dedicá-la a alguém. As dedicatórias podem tornar-se públicas.

Consolidada a ideia, esta foi apresentada pela Universidade de Aveiro, com a Fundação Mata do Bussaco, ao SAPO labs, da Fundação PT, que pretende ser encarado como parceiro de desenvolvimento e investigação das instituições de ensino. Agora, dois alunos finalistas da licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação vão receber as condições materiais e financeiras para desenvolver toda a plataforma e a aplicação móvel inerente ao projeto Bussaco Digital, com o apoio do SAPO labs e da Fundação PT. 
Com este micro-site, e as contribuições dos seus utilizadores, vai ser possível ajudar diretamente na reflorestação da Mata Nacional do Bussaco, a recuperação de clareiras, o combate / controlo da instalação de flora exótica invasora que tenderá a se desenvolver nas novas clareiras, se não houver plantação de vegetação adequada (autóctone e exótica ornamental, não invasora), a consolidação das unidades de paisagem da Mata através da plantação de espécimes adequados a cada unidade, a divulgação do património natural da Mata e o aumento da consciência ecológica pública e da sensibilização ambiental.

Ver plataforma do Bussaco Digital aqui: http://bussacodigital.sapo.pt/ 

facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top