Estamos comprometidos com a prevenção e a segurança de todos pelo que, face à situação provocada pela pandemia COVID-19 em Portugal, o Presidente do Conselho Diretivo da FMB, em articulação com a sua Tutela, o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, Florestas e Ordenamento do Território, decidiu adotar medidas preventivas e de contenção para evitar a propagação do vírus. Neste sentido, encerrámos, pelo até dia 3 de abril, os postos de atendimento ao público (Convento de Santa Cruz do Bussaco, Esplanada da Mata, Loja dos Produtos da Mata e Posto de informações) pela saúde e segurança dos visitantes, das nossas equipas e das suas famílias.

Em conformidade com as indicações do Presidente da República, do Governo e das autoridades de saúde, a atividade das nossas equipas foi reorganizada, para contemplar o regime laboral de teletrabalho, de modo a assegurarmos que prosseguimos com uma resposta eficiente e expedita aos nossos clientes e parceiros. Conscientes da complexidade da conjuntura que vivemos, estamos empenhados em minimizar o impacto do contexto adverso na nossa atividade e na nossa missão de gestão e conservação da Mata Nacional do Bussaco.

A Água de Luso acaba de oferecer à Fundação Mata do Bussaco 28 bancos de jardim, três ecopontos, uma casinha de brincar e um jogo do galo feitos a partir de materiais reciclados, para serem instalados na Mata Nacional do Bussaco. A iniciativa de mecenato resulta do desafio lançado aos atletas que participaram na Luso Meia Maratona – uma das mais populares provas de atletismo de Portugal – para “correr pela Serra do Bussaco”. 
Recorde-se que já em março de 2019 a Água de Luso contribuiu para a reflorestação e preservação do património hídrico do Luso com 35.000 árvores, que serão plantadas, até março de 2020, na serra do Bussaco, no concelho da Mealhada, onde se encontram precisamente os aquíferos desta prestigiada marca de água portuguesa. 
Agora, a Água de Luso decidiu oferecer mobiliário de jardim “amigo do Ambiente”, produzido com materiais reciclados, que, na opinião da Água de Luso, “irão promover  uma melhor experiência de passeio numa das Matas Nacionais mais ricas em património natural, arquitetónico e cultural e que é, neste momento, candidata a Património Mundial da UNESCO”. 
Os novos equipamentos de materiais reciclados, que poderão ser vistos já a partir de amanhã na Mata Nacional do Bussaco, visam, na opinião de Sara Ornelas, responsável de Marketing da Água de Luso, “proteger e valorizar o ecossistema natural da Serra do Bussaco, promover estilos de vida saudáveis” e “contribuir para a melhoria das infraestruturas da Mata do Bussaco onde, futuramente, todos terão oportunidade de desfrutar dos tradicionais piqueniques em contacto directo com a natureza, respirar ar puro, fazer um passeio pedestre e conhecer mais sobre a origem da Água Mineral Natural de Luso, que tem de ser preservada”.
Bussaco, 3 de fevereiro de 2020

Estão concluídas as obras de “Requalificação e valorização da Mata Nacional do Bussaco - Recuperação do Convento de Santa Cruz e Capelas dos Passos da Via-Sacra”.

Com um investimento global que rondou um milhão de euros, em parte  suportado por fundos comunitários (Programa Centro 2020) e outra pela Câmara Municipal da Mealhada, a empreitada teve início em março de 2018 e conclusão em finais do ano transato, tendo obedecido aos projetos aprovados pela Direção Regional da Cultura do Centro.

A obra, executada por uma empresa especializada na reabilitação, conservação e restauro do património construído, englobou trabalhos de conservação e restauro em fachadas, paredes e tetos interiores, recuperação de vãos interiores e exteriores, recuperação de coberturas e intervenções pontuais de correção em drenagem de águas pluviais e em pavimentos.

Para uma outra fase está prevista a reabilitação de toda a estatuária existente em 14 das 22 capelas que compõem a Via-Sacra do Bussaco - a única réplica no mundo reproduzida à escala do caminho sagrado existente em Jerusalém -, da autoria do  escultor Costa Mota (sobrinho), realizada no segundo quartel do século XX.

De salientar que os imóveis reabilitados são património do Estado, encontrando-se os mesmos afetos à Fundação Mata do Bussaco há cerca de 10 anos, por via do usufruto constituído por força do Decreto-Lei n.º 120/2009, de 19 de maio. Contudo, para que as obras avançassem de facto - algo unanimemente aceite por todos como premente há vários anos -, teve a Câmara da Mealhada de se substituir ao papel do próprio Estado português.

Segundo nota da Câmara Municipal, outros edifícios existentes na Mata Nacional do Bussaco também serão, num futuro próximo, contemplados com intervenções de requalificação.

 

Bussaco, 20 de Dezembro de 2019

 

- Ação de limpeza e de reflorestação juntou duas centenas de voluntários que plantaram mais de 150 novas árvores e arbustos na Mata Nacional do Bussaco.

Tratou-se da 3ª edição do Living Bussaco, que decorreu no âmbito do programa de atividades do "Sement Event 2019", que serviu para assinalar as comemorações do Dia da Floresta Autóctone e sensibilizar a comunidade para a importância de valorizar o património natural da região e para a adoção e prática regular de hábitos saudáveis e de responsabilidade social. Os trabalhos decorreram junto à Porta de Sula, Fonte de São Silvestre e imediações do Palace Hotel, numa ação organizada conjuntamente pela Fundação Mata do Bussaco (FMB) e a empresa Living Place - Animação Turística que contaram com o apoio da Sociedade da Água de Luso.

O Sement Event decorreu de 16 a 23 de novembro e englobou uma série de iniciativas de carácter ambiental inseridas na programação do “Sement Event” edição Pós LIFE, com o propósito de apresentar as atividades desenvolvidas no âmbito do Projeto BRIGHT – Bussaco’s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats, apoiado pelo Programa LIFE+/Biodiversidade, desenvolvido entre 2011 e 2018, na Mata Nacional do Bussaco.

Com uma componente técnica mais abrangente, o programa incluiu ainda um seminário com apresentações de diversos casos práticos desenvolvidos em território nacional por instituições públicas e privadas, ONG´s e instituições de investigação, bem como a apresentação dos trabalhos ainda em curso no âmbito do projeto BRIGHT. Presente esteve da Universidade de Évora, Filipe Banha, com o “projeto LIFE Invasaqua”, a investigadora Elisabete Marchante com o seu estudo sobre o “Controlo natural da acácia de espiga”, da Câmara Municipal do Barreiro, Nuno Cabrita, com o “LIFE Biodiscoveries – Controlo de Invasoras na Ribeira das Naus do Coina”, do Santander Totta, Rui Miguel Santos, “A Política de Sustentabilidade do Santander Totta”, do Centro de Interpretação Ambiental da Mealhada, Lídia Dias, e, finalmente, representando a FMB, Sofia Ferreira que apresentou o “Programa Pós-LIFE e o Furacão Leslie”.

Complementarmente, com uma vertente mais prática, teve lugar, durante três dias, um voluntariado realizado pela “Associação Plantar Uma Árvore” que trouxe – no âmbito do programa LIFE – Volunteers Escapes, que visa o acolhimento de voluntários, nacionais e internacionais provenientes da plataforma Corpo Europeu de Solidariedade, cerca de uma dezena de jovens oriundos de vários países europeus. Para além desta, houve também lugar a ações de voluntariado dirigidos a um público mais técnico, mas também aberto à comunidade em geral, interessada em dar apoio na limpeza e reflorestação de vários talhões da Mata.

Bussaco, 25 de novembro de 2019

 

 IMG 8397 Cópia

 

A Sukyo Mahikari, uma Organização Não Governamental originária do Japão, regressou à Mata Nacional do Bussaco, no passado fim de semana, para a realização de mais um voluntariado.

Uma ação que juntou, durante dois dias, perto de meia centena de voluntários e onde se plantaram mais de mil árvores.
No sábado, os trabalhos centraram-se na remoção de ramos e troncos, no arranque de acácias, na abertura de covas e na reflorestação de uma parcela de terreno junto à Porta de Sula. Já no dia seguinte, elementos da Associação de Desenvolvimento Rural - O Planalto, de Barcouço, e vários escuteiros e seus chefes, juntaram-se aos ambientalistas da Sukyo Mahikari (nome que poderá traduzir-se como "Princípios da verdadeira luz"), numa ação que uniu participantes dos 4 aos 74 anos de idade em torno de uma causa comum. Todas as árvores foram gentilmente cedidas pela Sociedade Água de Luso.

Bussaco, 30 de outubro de 2019

 

75327065 2419638541477770 1064415143602946048 o

Conferência internacional reúne especialistas europeus no Bussaco

Uma comitiva de especialistas estrangeiros, composta por representantes da Suécia, Finlândia e Luxemburgo, que está, desde ontem, na região, para participar na conferência internacional "Economia Verde – Uso Múltiplo da Floresta" (Green Economy – Multiple Use of Forest), que decorre até 25 de outubro. Da ordem de trabalhos fez parte uma sessão de esclarecimento sobre a Mata Nacional do Bussaco, uma visita guiada pela floresta e ainda a plantação simbólica de um aderno (Phillyrea latifolia L.) na zona da Cruz Alta.

O objetivo principal do evento é a criação de uma rede de troca de experiências e conhecimento sobre boas práticas, produtos e serviços relacionados com a economia verde e o uso múltiplo da floresta.

A comitiva foi recebida pela parceria composta pelos GAL – Grupos de Ação Local AD ELO (concelhos de Cantanhede, Mealhada, Mira, Montemor-o-Velho, Figueira da Foz e Penacova), Adices (Águeda, Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão e Tondela) e Dueceira (Lousã, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares).

Bussaco, 22 de outubro de 2019

Colaboradores do Centro Distrital da Segurança Social de Aveiro trocaram o escritório pela floresta do Bussaco

Meia centena de colaboradores do Centro Distrital da Segurança Social de Aveiro estiveram na Mata Nacional do Bussaco a realizar um voluntariado. Focado na limpeza e remoção de ramos e troncos na zona do Arboreto, junto às Portas de Sula, o grupo cumpriu com distinção os objetivos inicialmente traçados para a atividade, sempre com muita animação e espírito de camaradagem. A tarefa culminou com a plantação simbólica de um azereiro, gentilmente oferecido pela Sociedade Água de Luso, para mais tarde recordar. Para terminar, houve ainda lugar a um merecido almoço, na Fonte Fria, a fim de todos recuperarem de um exigente passeio guiado pela floresta encantada.

Bussaco, 24 de outubro de 2019

A senhora Embaixadora de Cuba em Portugal, Mercedes Martínez Valdés, esteve de visita à Mata Nacional do Bussaco.

A diplomata deixou o seu apoio e uma ligação emocional à Mata sublinhada com a plantação de um azevinho, na zona da Fonte de Santa Teresa.

Bussaco, 5 novembro de 2019

 

Convento de Santa Cruz e Capelas da Via-Sacra reabilitados com investimento de um milhão de euros

Foi inaugurada, esta manhã, a obra de "Requalificação e valorização da Mata Nacional do Bussaco - Recuperação do Convento de Santa Cruz e Capelas dos Passos da Via-Sacra", um investimento global de cerca de um milhão de euros. A empreitada, adjudicada a uma empresa especializada na reabilitação, conservação e restauro do património construído, englobou trabalhos de conservação e restauro em fachadas, paredes e tetos interiores, recuperação de vãos interiores e exteriores, recuperação de coberturas e intervenções pontuais de correção em drenagem de águas pluviais e em pavimentos. Toda a empreitada, iniciada em março de 2018, obedeceu aos projetos aprovados pela Direção Regional da Cultura do Centro. O investimento global rondou um milhão de euros, sendo uma parte suportada por fundos comunitários (Programa Centro 2020) e outra pela Câmara Municipal da Mealhada. Rui Marqueiro, presidente da Câmara Municipal da Mealhada, sublinhou que a reabilitação e preservação da Mata Nacional do Bussaco será sempre uma prioridade para a Autarquia, adiantando que as próximas áreas a intervencionar serão as garagens do Palace, o chalet de Santa Teresa e a igreja do Convento de Santa Cruz. A secretária de Estado da Cultura, Ângela Ferreira, que inaugurou as obras, sublinhou o compromisso transversal que deve existir em torno do património. "Se nesta visão com que nos comprometemos, o património deve ser também um veículo transformador da sociedade e dos territórios, se o património é verdadeiramente de todos, então o património requer os esforços de todos. Dar futuro ao património e, dessa forma, à cultura de um país, compromete-nos a todos", referiu.Também presente na inauguração, o Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, destacou o "valor ímpar do Bussaco como um todo, absolutamente distinto no país e no mundo" e enalteceu "o projeto que tem vindo a ser realizado com a colaboração de muitas entidades públicas e privadas". Recorde-se que os imóveis reabilitados são património do Estado, encontrando-se os mesmos afetos à Fundação Mata do Bussaco há cerca de 10 anos, por via do usufruto constituído por força do Decreto-Lei n.º 120/2009, de 19 de maio. Contudo, para que as obras avançassem de facto - algo commumente aceite por todos como urgente há vários anos -, teve a Câmara da Mealhada de se substituir ao papel do próprio Estado.

Bussaco, 19 de julho de 2019

Pág. 1 de 14
facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top