O projeto “Bussaco Digital” foi distinguido pela Federação Europarc com o prémio de Melhor Projeto de Comunicação em Áreas Naturais Europeias. O galardão foi entregue em Regensburg, na Alemanha, durante a “2015 Europarc Conference”.

O projeto “Bussaco Digital” da Fundação Mata do Buçaco (FMB) acaba de receber o prémio de Melhor Projeto de Comunicação em Áreas Naturais da Europa, designado Natura 2000 Comunication Award. A distinção foi atribuída pela Federação Europarc, uma das mais relevantes instituições europeias no que concerne à gestão e conservação da natureza. O “Bussaco Digital” é uma plataforma informática online, que permite plantar árvores na Mata Nacional do Buçaco, apenas à distância de um clique. O objetivo do programa, desenvolvido pela FMB em parceria com a Universidade de Aveiro, a Fundação PT e o SAPO Labs, é contribuir para a reflorestação da mata, em particular das áreas atingidas pelo temporal que assolou este espaço em 2013.

Trata-se de uma iniciativa que envolve a Fundação Mata do Bussaco (FMB), em parceria com os departamentos de Comunicação e Arte e de Biologia da Universidade de Aveiro (UA), o Sapo Labs, com o apoio da Fundação PT, e que se traduz num programa informático - e futuramente uma aplicação móvel -, que permite ao utilizador plantar uma ou mais árvores nas áreas de floresta da Mata Nacional do Buçaco destruídas após o ciclone de janeiro de 2013. A aplicação, agora reconhecida internacionalmente, oferece ainda ao utilizador uma série de outras funcionalidades. O website permite ao usuário adquirir e dedicar uma das árvores centenárias existentes na mata a alguém especial, batizar a árvore plantada, bem como acompanhar o desenvolvimento desta, através da sua monitorização por meio de coordenadas GPS. “Uma forma interativa de contribuir para a reflorestação e conservação da mata”, como refere Nelson Matos, um dos técnicos da FMB responsáveis pelo projeto, acerca do programa. “Com esta ferramenta a pessoa pode criar um laço duradouro com as árvores”, conclui.

A Federação Europarc, uma das mais importantes instituições europeias ligadas à conservação e gestão da natureza e que representa 365 membros entre departamentos governamentais, organizações não-governamentais (ONG) e áreas protegidas de toda a Europa, distinguiu no dia 26 de outubro, na Alemanha, o Projeto “Bussaco Digital”, como o melhor trabalho de comunicação e informação para áreas naturais realizado no espaço europeu. O projeto da FMB foi o grande vencedor, numa categoria que contou com 20 projetos finalistas oriundos de diversos países europeus. O prémio foi entregue durante a “Europarc Conference 2015”, um evento que reúne anualmente membros e organizações ligadas à natureza, que este ano teve como tema: “Áreas Protegidas num Mundo em Mudança”.

Recorde-se que o projeto “Bussaco Digital” já havia sido selecionado a nível nacional como exemplo de boas práticas, tendo sido, também, um dos projetos europeus finalistas, em 2014, no “Green Project Awards”, em termos de inovação e sustentabilidade.

29 de outubro 2015

DSC 0355IMG 5590

 

 

A Fundação Mata do Buçaco (FMB) esteve presente no Congresso Internacional sobre a História da Ordem dos Carmelitas Descalços em Portugal que decorreu na Domus Carmeli, em Fátima, entre os dias 22 a 24 de outubro. “A Reforma Teresina em Portugal” foi o tema do evento organizado pela ordem religiosa dos Carmelitas Descalços. O presidente da FMB, António Gravato, fez parte da comissão de honra do congresso que contou com a participação de conceituados historiadores e conferencistas autores de trabalhos reconhecidos sobre o tema. “O Deserto do Buçaco, Paisagem do Sagrado – a Herança dos Carmelitas Descalços”, apresentado por um técnico da FMB, foi uma das vinte e duas comunicações orais previamente selecionadas pela Comissão Científica do congresso.

A realização deste congresso sobre a História da Reforma Teresiana em Portugal surgiu com o objetivo de assinalar as Comemorações do Quinto Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus (1515-2015), fundadora, conjuntamente com João da Cruz, desta ordem religiosa. No evento estiveram vários conferencistas e historiadores autores de trabalhos reconhecidos sobre o tema em análise, bem como académicos e investigadores de renome, oriundos de norte a sul do país, representando várias universidades nacionais como: a academia de Coimbra, Porto, Lisboa, Évora, Algarve, entre outras. Durante o congresso foi apresentado o livro: “Retábulos dos Carmelitas Descalços em Portugal e Países da Expansão Ultramarina” e a emissão filatélica comemorativa da efeméride. No que respeita à apresentação realizada por Filipe Teixeira, do Departamento de Património Edificado, Paisagístico e Cultural da FMB, esta “incidiu sobre o património legado pelos carmelitas descalços” e como “esta paisagem do sagrado, construída com o recurso a uma profusão de distintos elementos edificados desde o convento às ermidas de habitação, passando pela via sacra e as fontes arquitetónicas, foram enquadrados numa paisagem ímpar que ainda hoje refletem a simbologia por detrás da construção deste lugar”, referiu.

Segundo nota da organização do evento, a iniciativa teve como principal finalidade “investigar as marcas profundas que esta Ordem deixou na reforma da Igreja, quer na teologia e na espiritualidade, como nas missões e no ensino, no campo da cultura e das artes”, sendo estas visíveis em variados conventos nacionais. Uma “mémoria do passado” que se pretende que seja “reavivada no presente” e que ajude a “abrir novos horizontes para o futuro”, sendo uma “oportunidade para desbravar preciosos tesouros do contributo que a Ordem dos Carmelitas Descalços realizou e continua a realizar em Portugal”, lê-se ainda no texto. De recordar que já no passado mês de setembro no âmbito deste congresso, um grupo de conferencistas e de representantes da Ordem dos Carmelitas Descalços, liderado pelo padre provincial Joaquim Teixeira, visitou a Mata Nacional do Buçaco com o propósito de conhecer o património deixado pelos Carmelitas Descalços no “Deserto do Buçaco”. Na ocasião, o grupo foi recebido pelo presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, e, também, pelo presidente da Fundação Mata do Buçaco, António Gravato.

A Ordem dos Carmelitas Descalços foi fundada conjuntamente por Santa Teresa de Jesus de Ávila e São João da Cruz, chegando a Portugal em 1581. É um ramo da Ordem do Carmo, formado em 1593, que resulta de uma reforma feita ao carisma carmelita. É no seguimento da autonomização da província portuguesa dos Carmelitas Descalços que surge, por imposição das constituições da ordem, a necessidade de instituição de um “Deserto” - local de retiro que facilitava a estes religiosos a vivência espiritual em comunidade e, também, em eremitérios. Em 1628 é constituído o “Deserto dos Carmelitas Descalços do Buçaco” onde, durante mais de dois séculos, estes frades permaneceram em regime de clausura.

26 de outubro 2015

IMG 0929 2 2  IMG 0596 2

 

A Nossa Floresta: riqueza por explorar é o tema do evento que se realiza pelo quinto ano consecutivo e que inclui um conjunto vasto de atividades gratuitas dirigidas à população

O “Sement Event” está de regresso ao calendário de atividades da Fundação Mata do Buçaco (FMB). O evento decorre de 20 a 30 de novembro, simultaneamente no Grande Hotel do Luso e na Mata do Buçaco. “A Nossa Floresta: Riqueza por explorar” é o tema da 5ª edição do evento realizado no âmbito do Projeto BRIGHT (Bussaco’s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats) e que se associa às comemorações do Dia da Floresta Autóctone. À semelhança de anos anteriores, o programa de atividades será bastante diversificado contando com ações de voluntariado, seminários, formações e exposições contando para tal com a presença de um reputado painel de oradores ligados à temática do Ambiente e da Floresta. O objetivo principal do evento é procurar identificar a sociedade civil com os valores do Projeto e, assim, fomentar a aproximação do público com a mata. Uma semana inteiramente dedicada à propagação de espécies autóctones, à valorização e renaturalização de espaços degradados, ao controlo de espécies exóticas invasoras (lenhosas e herbáceas) é o que propõe o programa do “Sement Event 2015” que incluirá, para além destas atividades, sessões públicas abertas ao público onde serão debatidos temas pertinentes sobre os recursos florestais autóctones e a mais-valia dos projetos de conservação da natureza.

Do programa do evento, que a FMB realiza anualmente no âmbito do Projeto BRIGHT (Bussaco’s Recovery of Invasions Generating Habitat Threats), apoiado pelo Programa LIFE+/Biodiversidade da Comissão Europeia, fazem ainda parte diversas ações de voluntariado a desenvolver entre os dias 23 e 30 de novembro, na Mata Nacional do Buçaco. Previstas estão ainda a recolha e propagação de espécies autóctones presentes na mata como: o folhado (Viburnum tinus); gilbardeira (Ruscus aculeatus); azereiro (Prunus lusitanica) e pilriteiro (Crataegus monogyna), para posterior propagação através de sementes nos viveiros da mata. Estas práticas são consideradas fundamentais para dar continuidade ao seu registo histórico, assim como na revitalização das áreas afetadas por catástrofes naturais, tendo em consideração o caso concreto da mata e das áreas assoladas pelo ciclone Gong, em 2013.

De referir que durante o evento serão dinamizadas visitas orientadas por técnicos da FMB, através do espaço envolvente da mata, visando o controlo de espécies invasoras como a australia (Acacia melanoxylon), mimosa (Acacia dealbata), pitósporo ondulado, acacia-de-espigas (Acacia longifolia), tintureira (Phytolacca americana), carvalhos e adernos, entre outras espécies. Pretende-se com estas deslocações a implementação de trabalhos de conservação da natureza e da biodiversidade face a um dos principais problemas globais em matéria de ambiente – as ameaças colocadas por espécies vegetais exóticas com características invasoras à biodiversidade. O principal objectivo é demonstrar por meio da aplicação de metodológicas de controlo de plantas invasoras, como o arranque das espécies invasoras provenientes do “banco de sementes” e, pontualmente, o descasque de algumas espécies específicas, contribuem para a conservação e valorização dos ecossistemas.

Bussaco, 23 de outubro 2015

IMG 6683

 

 Edital

Consulta pública do Plano de Gestão Florestal da Mata Nacional do Bussaco

 A Fundação Mata do Bussaco (FMB) esteve presente na “ObservaNatura 2015”, uma feira dedicada ao turismo ornitológioco, que se realizou nos dias 10 e 11 de outubro, na Herdade da Mourisca, em Setúbal. A participação da FMB no evento inseriu-se no âmbito da Ação D.8 (Programa de Ações de Dissiminação e Transferência de Resultados) do Projeto BRIGHT do programa comunitário LIFE+, e contou com um stand no recinto, uma oficina de educação ambiental, bem como a realização de uma palestra. A sétima edição do evento foi, mais uma vez, dedicada ao tema do turismo ornitológico (BirdWatching), uma modalidade do turismo de Natureza que se centra na observação de aves, direta ou com recurso a binóculos ou telescópios de campo. O objetivo da presença da FMB no evento foi o de dar a conhecer algumas das valências que tem para oferecer ao público/turistas, assim como algum do trabalho que tem sido realizado na Mata Nacional do Buçaco, quer em termos de flora, como, principalmente, em termos de fauna.

Durante o certame o visitante pode aprender a construir caixas ninho na oficina de educação ambiental “Um ninho para um passarinho” e conhecer um pouco mais sobre a recuperação de áreas fustigadas por catástrofes naturais, nomeadamente no caso concreto da Mata do Buçaco afetada pelo ciclone Gong, em 2013. A comunicação Oral: "Mata Nacional do Buçaco - da Calamidade à Oportunidade", fez também parte do programa de atividades dinamizadas durante o evento. Em jeito de balanço final, o técnico da FMB, Nelson Matos, considerou como “bastante positiva” a participação da fundação nesta edição do certame, considerando esta ser uma "oportunidade" para divulgar e promover a Mata Nacional do Buçaco, e o trabalho que a fundação tem vindo a desenvolver em favor da conservação e dinamização de todas as valências da Mata”, referiu.

Workshops variados, mini-cursos, passeios para observação de aves na Reserva Natural do Estuário do Sado, ateliês de fotografia, pintura e a ilustração da Natureza, sessões de anilhagem e atividades de educação ambiental, foram algumas das propostas dirigidas ao público, num evento que serve de encontro e partilha de conhecimento entre empresas de turismo de natureza, organizações não-governamentais, empresas de material óptico, turistas ornitológicos, entre muitos outros, em torno dos valores da biodiversidade. Esta é já considerada a maior feira portuguesa do género e tem sido realizada anualmente, desde 2009. Sem dúvida um dos maiores certames ligados ao turismo de natureza, que na edição transacta contou com cerca de nove mil visitantes e a participação de mais de centena e meia de entidades.

Bussaco, 13 de outubro 2015

 

 

A Fundação Mata do Bussaco dinamizou em parceria com a autarquia mealhadense, uma ação de voluntariado destinada a cidadãos do concelho menos favorecidos. A iniciativa decorreu no âmbito da "Semana Pelo Combate à Pobreza e à Exclusão Social" que a Câmara Municipal da Mealhada está a promover, até ao próximo dia 17 de outubro, em vários locais do concelho. A ação foi enquadrada nos valores do Projeto BRIGHT LIFE+ - um programa de controlo e erradicação de espécies invasoras na Mata -, e abrangeu uma componente prática e outra mais teórica, tendo sido dinamizadas palestras sobre a flora existente na floresta, bem como um passeio pelos caminhos mais emblemáticos da Mata Nacional do Bussaco.

Bussaco,13 de outubro 2015

IMG 5446

 

 

A iniciativa decorreu no Pinhal do Marquês e envolveu meia centena de voluntários. Extração de espécies invasoras, plantação de árvores nativas e exóticas e reposição de espécies da coleção dendrológica foram algumas das atividades desenvolvidas.

A Fundação Mata do Bussaco (FMB)e a a Associação GRACE (Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial) realizaram conjuntamente, no dia 2 de outubro, uma ação de voluntariado subordinada ao tema da preservação ambiental, no âmbito da décima edição do GIRO, a maior iniciativa nacional de voluntariado corporativo, e contou com a participação de mais de meia centena de voluntários. Sensibilizar para a emergência de mudança de atitudes impactantes na sociedade, alargar horizontes e despertar para uma maior consciência cívica, social e ambiental, integrando diferentes públicos foram alguns dos objetivos do evento. Enquadrada ao abrigo do projeto BRIGHT (Bussaco´s Recovery os Invasions Generating Treats) a iniciativa contou com a participação de funcionários da Câmara Municipal da Mealhada, elementos da CADES, do Centro Social Melo Pimenta, do Grupo CH, do Grupo AUCHAN, da Pfizer e da Universidade de Aveiro.

O dia começou com a receção aos participantes a ser conduzida pelo presidente da FMB, António Gravato, logo seguida de um “briefing” do evento. Depois de formadas as equipas de trabalho, feito um enquadramento da Mata, do Projeto e apresentado os trabalhos a desenvolver ao longo do dia, o grupo dirigiu-se para a zona do Pinhal do Marquês, um dos locais da Mata mais fustigados pelo temporal de 2013, que causou prejuízos na ordem dos seis milhões de euros. Ali, os voluntários foram distribuídos em grupos de cinco elementos, com vista à recolha de espécies invasoras (como a acácia), e à plantação de cerca de mil árvores, entre espécies autóctones e espécies exóticas. No final dos trabalhos, foi tirada uma foto de grupo e entregue aos participantes os respectivos diplomas de participação.

O GRACE é uma associação pioneira, sem fins lucrativos e exclusivamente dedicada à promoção da responsabilidade social corporativa, que realiza intervenções em todo o território nacional. O seu objetivo é trabalhar temas como a inclusão social, a defesa dos animais ou a recuperação de espaços naturais, tendo contado com mais de cinco mil voluntários de empresas e mais de dezanove mil beneficiários em anteriores edições. A associação engloba mais de 130 empresas, das mais variadas dimensões e sectores de atividade, empenhadas em aprofundar o papel das empresas no desenvolvimento social das pessoas e organizações, partilhando a missão de: refletir, promover e desenvolver a responsabilidade social corporativa em Portugal.

 Bussaco, 5 de outubro 2015

IMG 5305

 

 

O Dia Internacional do Idoso foi assinalado, ontem, na Mata Nacional do Bussaco, com a realização de uma série de atividades promovidas pela Câmara Municipal da Mealhada em parceria com a Fundação Mata do Bussaco (FMB). Cerca de três dezenas de utentes, de várias instituições e organizações da área social do concelho da Mealhada, estiveram presentes. O dia incluiu uma caminhada, composta por um percurso lúdico-interpretativo entre a Cruz Alta do Bussaco e as Portas de Coimbra,  e a plantação de 335 árvores na zona dos Viveiros. A ação comemorativa culminou com a realização de um piquenique de convívio entre todos os participantes.

A FMB, associa-se, assim, à Câmara Municipal da Mealhada, nas comemorações da efeméride com a realização de diversas atividades direcionadas especificamente ao público sénior. Mais uma vez, o Dia Internacional do Idoso foi comemorado em diversos locais do concelho. A maioria dos utentes, das instituições e organizações sociais da área da terceira idade do concelho, foram unânimes em classificar a iniciativa como "muito divertida" num dia que, sem dúvida, foi passado de forma "diferente". A Associação de Aposentados da Bairrada, o Grupo Caritas da Mealhada, a Associação CADES – Cooperação Artística, Desportiva, Educativa e Social, assim como a Delegação da Mealhada da Associação Adventista, para o Desenvolvimento, Recursos e Assistência (ADRA), foram algumas das instituições que marcaram presença nas comemorações.

Bussaco, 2 de outubro 2015

IMG 5258 Cópia 

 

Foi ontem, no Dia Mundial da Água, que o CIA abriu as suas portas à comunidade. Situado em pleno Parque da Cidade da Mealhada, o CIA está equipado com os mais modernos equipamentos, permitindo a realização de diversas atividades pedagógicas relacionadas com o meio ambiente. Um espaço destinado a toda a comunidade, mas que terá uma especial importância para os alunos do concelho. “É mais uma ferramenta essencial à comunidade educativa. Vai ser um complemento para a aprendizagem que os nossos alunos já têm na escola, uma forma de os sensibilizar ainda mais pelas questões ambientais”, salientou o vice-presidente da Câmara, e responsável pelo pelouro da Educação, Guilherme Duarte.

A sua gestão resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal da Mealhada e a Fundação Mata do Buçaco. “É para mim uma honra e um privilégio poder estar ligado a este projeto. A dimensão deste espaço é ótima, a localização – no Parque da Cidade – é perfeita e aqui as crianças vão poder contactar e saber mais sobre tudo o que envolve o Ambiente”, sublinhou o presidente da Fundação Mata do Buçaco, António Gravato. “A Fundação lida diariamente com questões ambientais e estou certo que podemos dar um excelente contributo. Este espaço acaba por ser também a nossa casa”, concluiu o presidente da fundação.

A delegada regional de Educação do Centro foi a última a discursar. Cristina Oliveira começou por dirigir a palavra às crianças que participaram na cerimónia de abertura, lembrando todos os presentes que o CIA é, sobretudo, para elas. “Os adultos tiveram muito trabalho para construírem este espaço e ele é para vocês, que serão os grandes portugueses e portuguesas de amanhã”, afirmou Cristina Oliveira, elogiando o espaço. “Tem o tamanho ideal e tem tudo o que é necessário. Estou certa que este espaço irá responder às necessidades das vossas crianças”, salientou ainda a delegada regional, defendendo que o CIA vai promover o que cada vez mais os especialistas defendem: que as crianças estejam mais em contacto com a natureza. “No norte da Europa, cada vez mais os alunos são trazidos para espaços ao ar livre, para contactarem com a natureza. As nossas crianças de hoje precisam de conhecer melhor e viver mais o ambiente e de estarem mais fora da escola”, conclui Cristina Oliveira, elogiando o trabalho que a Câmara Municipal da Mealhada tem feito na área da Educação.

O CIA tem como missão informar e sensibilizar os cidadãos para a problemática ambiental, promovendo a mudança de comportamentos e de atitudes, para que toda a comunidade saiba lidar com os desafios do desenvolvimento sustentável. As atividades promovidas no espaço têm, pois, como objetivos: despertar a curiosidade para o conhecimento e compreensão do meio natural que nos rodeiainteriorizar atitudes e valores respeitantes à sociedade de consumo e estimular o desenvolvimento de atitudes responsáveis com a preservação dos recursos naturaiscontribuir para a formação de uma cidadania ambientalmente mais consciente e informadadar a conhecer o património natural, sensibilizando para a valorização e preservação dos recursos naturais do concelho de Mealhada e da regiãodesenvolver a cooperação de alunos e professores em causas ambientais, construindo alicerces para uma sociedade ecologicamente saudável.

O CIA vai funcionar de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h, oferecendo as mais variadas atividades, dirigidas a todas as camadas da população, sendo apenas necessária uma inscrição prévia com quinze dias de antecedência. A dinamização do espaço está a cargo da engenheira ambiental, Lídia Dias. “Apesar de estar aberto a toda a comunidade, no horário já referenciado, este espaço vai trabalhar muito com as escolas. Temos um leque de atividades gratuitas que podemos realizar, para todas as idades, sendo apenas necessária uma inscrição prévia”, informou Lídia Dias, referindo que essas atividades vão incidir sobre as temáticas da “água, floresta, reino das plantas, reino dos animais, resíduos, energia, hortas e jardinagem, percursos e descobertas e o ambiente”. “Às quartas-feiras à tarde, vamos ter o Altambiente”, acrescentou ainda a engenheira, explicando que a iniciativa passa por jogos sobre a temática dentro e fora de portas.

O resto do dia foi passado em atividades dirigidas a toda a população. A temática foi a água, uma vez que o espaço abriu em pleno Dia Mundial da Água.

Centro de Interpretação Ambiental

Local: Parque da Cidade da Mealhada

Horário: 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h

Responsável: Lídia Dias

Mais informações: brevemente em www.cm-mealhada.pt


02 de outubro de 2015

IMG 5225

 

 Um grupo de representantes da Ordem dos Carmelitas Descalços visitou, esta manhã, a Mata Nacional do Bussaco. A visita  no âmbito do programa das comemorações do "Quinto Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus" e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Rui Marqueiro, bem como do presidente da Fundação Mata do Bussaco (FMB), António Gravato, que foram os cicerones do do grupo de sacerdotes. Conhecer o património deixado pelos Carmelitas Descalços no “Deserto do Bussaco” foi o principal objetivo da visita, que contou, para além de uma visita ao Convento de Santa Cruz, com a plantação simbólica de uma árvore (cedro-do-bussaco, Cupressus lusitanica), em pleno "coração da Mata Nacional do Bussaco. 

“Agradeço a vossa presença. Sejam bem-vindos, é uma honra ter-vos aqui”, referiu António Gravato, à chegada da comitiva. Agradeço a presença e disponibilidade do senhor presidente da câmara da Mealhada e espero, sinceramente, que se sintam em casa e que desfrutem do que vão ver”, referiu. "Permitam-me expressar um desejo; seria muito interessante e louvável para nós transpor para este local a reflexão e espiritualidade da vossa ordem. seria uma forma de devolver toda a dignidade que este espaço singular reclama e merece”, concluiu. Por sua vez, o representante dos Carmelitas, o padre provincial Joaquim Teixeira, mostrou-se "muito agradado" com o convite, considerando a ocasião como uma "oportunidade para um estreitar de relações” entre as duas instituições num diálogo que tem tudo para ser um "princípio de colaboração” a vários níveis. “Estas são portas que se estão a abrir, resta agora saber o que ambas as partes podem dar”, rematou o sacerdote. A comitiva, composta por elementos da ordem religiosa dos Carmelitas Descalços e por alguns historiadores, num total de dezoito pessoas, seguiu depois para o Convento Carmelita, onde teve lugar uma visita guiada e comentada acerca daquele espaço de culto. O passeio teve o seu terminus com um almoço na Sala dos Brasões, no Palace Hotel, logo após a plantação, pelo representante máximo dos Carmelitas, de uma árvore que é um ícone do legado dos Carmelitas no Bussaco.

Entre os dias 20 e 22 de outubro, na Domus Carmeli, em Fátima, realiza-se um congresso internacional com o tema: “História da Ordem dos Carmelitas Descalços em Portugal” ao qual a FMB se associa com o seu presidente a fazer parte integrante da comissão de honra do evento e com um seu colaborador aapresentar uma comunicação com o tema: “O Deserto do Bussaco, Paisagem do Sagrado – a Herança dos Carmelitas Descalços”.

A Ordem dos Carmelitas Descalços foi fundada conjuntamente por Santa Teresa de Jesus e João da Cruz, chegando a Portugal em 1581. É no seguimento da autonomização da província portuguesa dos Carmelitas Descalços que surge, por imposição das constituições da ordem, a necessidade de instituição de um “Deserto” - local de retiro que facilitava a vivência espiritual em comunidade e, também, em eremitérios. Em 1628 é constituído o “Deserto dos Carmelitas Descalços do Bussaco” onde, durante mais de dois séculos, estes frades permaneceram em regime de clausura. Foi neste local que edificaram um vasto património de um incomensurável valor, que inclui capelas e ermidas, fontes, um convento e uma via-sacra única no mundo, capaz de surpreender todos aqueles que visitam esta mata nacional pela primeira vez.

Bussaco, 18 de setembro 2015

IMG 2IMG 4925

Pág. 10 de 11
facebook icon  youtube icon  tripadvisor icon
Top